BIOLOGIA

Este é o blog dos alunos de Biologia da Universidade de Évora

domingo, março 20, 2005

Cobra-rateira

Hoje apanhei e fotografei uma cobra-rateira (Malpolon monspessulanus).
Estava muito chateado, porque pouco tempo antes tinha visto uma cobra-rateira com uns bons 50 cm de comprimento mas não a consegui apanhar - são MUITO rápidas a fugir! Primeiro fugiu para debaixo de uma pedra pequena. Depois levantei a pedra e só vi a ponta da cauda a desaparecer num buraco! Escavei um bocado e levantei algumas pedras e consegui encontrá-la de novo! Mas voltou a fugir, e desta vez foi para debaixo de uma grande pedra. Com muito esforço levantei a pedra mas não a vi. Vi um buraco e voltei a escavar mas nunca mais a vi! :( Fiquei mesmo chateado!

Depois andei mais um bocado, e quando estava a andar em cima de um grande bocado de granito liso vi muitas lagartixas e passado pouco tempo vejo um animal a esconder-se debaixo do meu pé! lol Era uma cobra rateira pequena!!!! Felizmente consegui vê-la antes de assentar bem o pé no chão, senão podia ter ficado esmagada.

Tinha 36 cm de comprimento.
Esta espécie é a maior da Península Ibérica: chega aos 2,5 metros de comprimento! É também a que tem a melhor visão (reparem nos grandes olhos!) e a que atinge uma maior velocidade.
É venenosa! O veneno é mais forte do que o veneno da cobra-de-capuz, mas não tão forte como o veneno das 2 espécies de víboras que existem no noso país. Se uma pessoa for mordida normalmente sente-se alguma dor e a zona da mordedura pode inchar. Em alguns casos pode-se ficar com vómitos e dificuldade em respirar.
Nem sempre consegue cravar as presas numa pessoa, pois tal como a cobra-de-capuz esta é opistoglifa, ou seja, as presas estão na parte de trás da boca.

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

4 Comments:

  • At 3:37 da tarde, Blogger PAL_ARK said…

    Gostei muito do que expõe neste blogue. Andava a pesquisar sobre cobras rateiras e deparei-me com o seu site com muita da informação que precisava. Tenho uma quinta com muitas cobras e gostava de saber se elas seriam perigosas, principalmente para crianças. Força. Paulo.

     
  • At 3:45 da tarde, Blogger Marco said…

    Primeiro gostaria de saber em k região do país é a sua quinta. As unicas espécies que poderão ser perigosas para as crianças são as 2 espécies de víboras. Mas estas só existem em algumas regiões. Tirando as víboras a única k poderia ser perigosa é a cobra-rateira, mas o veneno desta não é tão perigoso como o das víboras e muitas das vezes elas não conseguem injectar veneno. Já fui mordido 2 vezes por cobras rateiras (porque as apanhei). Pelo menos da 2ª vez a cobra conseguiu inocular veneno. Apenas senti um pequeno ardor. Mas há casos de pessoas que ficaram com braços todos inchados e com dores.. Não há registos oficiais de mortes. E não se esqueça: tanto nas cobras-rateiras como nas víboras a primeira reacção é fugir de nós!

     
  • At 1:35 da manhã, Blogger aas said…

    preciso de sugestoes para tirar uma cobra que entrou para o meu carro.moro no alentejo e estive num olival com as portas abertas .deve tersido assim que o animal entrou.imagino que sejauma cobra rateira.ja
    a vi no carro e não consigo que saia.é muito urgente pois tenho crianças para transportar no carro.obrigada

     
  • At 12:18 da tarde, Blogger Marco said…

    Em principio nao ha perigo para as crianças.. Mas claro que o melhor é conseguir tirar a cobra do carro. Uma solução poderia ser ir para o campo e deixar de novo as portas abertas. Se o carro estiver ao sol é mais facil ela aquecer e ficar activa. Desta forma pode sair. Se o carro estiver perto de arbustos ou rochas é melhor, pois assim ela tem onde se esconder e é mais facil sair do carro. No carro ela não tem alimento, por isso vai acabar por sair. O melhor seria conseguir apanha-la. Num carro imagino que um dos locais onde se podem esconder é debaixo dos bancos. Se não quiser ser mordido use umas luvas. Deverá fazer isto no campo, para que possa libertar a cobra e ela sobreviva.

    Cumprimentos

    Marco Caetano

     

Enviar um comentário

<< Home