BIOLOGIA

Este é o blog dos alunos de Biologia da Universidade de Évora

segunda-feira, julho 31, 2006

Aranhas e ouriço

Infelizmente a teia da Argiope lobata que fotografei há uns dias desapareceu. Claro que se a teia desapareceu agora também já não consigo encontrar a aranha!
Felizmente hoje, equanto andava à procura de cobras-rateiras encontrei uma outra teia com outra Argiope lobata fêmea! E junto a ela estava.... um macho!!! :D
Pelo que me disseram é raro encontrarem-se machos desta espécie. E também não há muitas fotos deles.
Como é normal nas aranhas o macho é muito mais pequeno que a fêmea.

Esta é a fêmea:
Image Hosted by ImageShack.us

Mais uma foto da fêmea. Aqui estava a envolver em seda um pequeno insecto que ficou preso na teia:
Image Hosted by ImageShack.us

E aqui está o pequeno macho:
Image Hosted by ImageShack.us

Quando estava a sair do local onde se encontravam as aranhas reparei nuns pastos a mexer: era um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)! Ficou sempre enrolado, por isso não consegui fotografa-lo como queria :( . Mas decidi tirar uma foto diferente: um "close-up" aos espinhos:
Image Hosted by ImageShack.us

domingo, julho 30, 2006

Cobra-rateira com 140 cm!

Hoje encontrei uma cobra-rateira (Malpolon monspessulanus)... Foi a maior cobra que apanhei até hoje! :D Tinha 140 cm de comprimento! Segurando-a na vertical (segurando a cauda), com a cabeça dela nos meus pés (ou no chão) a cauda dela chegava-me ao início do pescoço!!!
Infelizmente não consegui tirar nenhuma boa foto. As que consegui tirar foi enquanto segurava a cauda da cobra. Depois larguei-a para tirar mais algumas fotos. O problema foi que a cobra fugiu muito rapidamente e não consegui que ela parasse. A cobra acabou por entrar num buraco junto a uma árvore.

Esta foi a melhor foto que consegui... foi tirada enquanto segurava a cauda da cobra. A cabeça ficou desfocada, embora aqui (por a foto estar mais pequena) até pareça focada:
Image Hosted by ImageShack.us

Serpentes

Hoje encontrei mais um excelente texto sobre serpentes. Fala sobre as serpentes que existem no nosso país. Recomendo a leitura deste texto a todos, não só aos que gostam destes animais, mas principalmente aos que não gostam ou têm medo!

O texto está muito bom e concordo com quase tudo o que lá diz. Parece um texto escrito por alguém que realmente conhece estes animais. Por exemplo, esbocei logo um sorriso quando vi lá a dizer que as cobras-de-água lançam pela "cloaca um fluido malcheiroso difícil de sair mesmo depois de n lavagens" :) . Eu próprio já tive essa experiência... lol As "n lavangens" podem chegar a várias dezenas! :S

Aqui está um link para a página:

http://www.gaiaglobal.pt/gaia/portal/user/anon/page/_PB_Descobrir.psml?categoryOID=49828080808681GC&contentid=DD8280BD80CO&nl=pt

Gostaria apenas de fazer algumas correcções:
- O nome científico da cobra-de-escada mudou para Rhinechis scalaris. O nome científico da cobra-de-ferradura mudou para Hemorrhois hippocrepis. O nome científico da cobra-de-capuz é agora Macroprotodon brevis. Provavelmente o texto já tem alguns anos.
- Pelas pesquisas que fiz sei que a cobra-de-escada pode atingir cerca de 160 cm e não 150 cm.. Ok, a diferença não é muita.. lol A cobra-de-ferradura (pelo menos na Península Ibérica) atinge cerca de 166 cm e não 180 cm.
O tamanho da cobra-de-água-de-colar não é idêntico ao da cobra-de-água-viperina! É fácil encontrarem-se cobras-de-água-de-colar com cerca de 1 metro de comprimento. Isso é mais raro na outra espécie. A cobra-de-água-de-colar pode (embora raramente) atingir cerca de 2 metros de comprimento!
- Não é pelo facto de tanto a cobra-rateira como a cobra-de-capuz serem opistoglifas que não representam perigo. Por exemplo, uma cobra-de-capuz com 16 cm de comprimento conseguiu-me inocular veneno! Uma cobra-rateira consegue fazer isso muito mais facilmente pois é maior. No entanto é muito mais fácil inocularem veneno se as apanharmos. Noutros casos a mordedura será muito rápida e é pouco provável que nos consigam cravar as presas que inoculam o veneno, e mesmo que isso aconteça a quantidade de veneno inoculado será muito baixa. O veneno da cobra-de-capuz não nos faz absolutamente nada! Já várias me inocularam veneno e não se sente nada! Quanto às cobras-rateiras, têm um veneno mais forte. Penso que me conseguiram inocular veneno duas vezes. Na primeira vez não senti nada. Na segunda vez pareceu-me ter sentido um pequeno ardor na zona da mordedura. Se ela ficasse mais tempo a inocular veneno então seria provável sentir dores e o local da mordedura poderia inchar. Em alguns casos mais graves (acontecem na maioria a pessoas alérgicas ao veneno) a vítima da mordedura pode ficar temporariamente com dificuldades respiratórias e para deglutir.

sábado, julho 29, 2006

Declínio das populações de répteis

Foi com tristeza que encontrei isto enquanto fazia uma pesquisa na net:

"Um relatório recentemente publicado no jornal BioScience revela que em termos globais os répteis poderão estar a sofrer maiores pressões ambientais que os anfíbios. A World Conservation Union (IUCN) listou 129 anfíbios e mais de 270 répteis em todo o mundo que se encontram em perigo ou vulneráveis.De acordo com o relatório publicado naquela revista científica, os anfíbios e os répteis ocupam frequentemente habitats similares e são igualmente vulneráveis à degradação do meio. No entanto, os répteis têm uma área vital maior, requerendo mais espaço e, portanto, encontrando-se mais susceptíveis à fragmentação do habitat. O uso humano insustentável de certas espécies também ocupa um lugar de destaque nas dificuldades a que se sujeitam estas populações. Por outro lado, enfrentam também maiores dificuldades na cadeia alimentar, visto que em diversos sistemas ocupam lugares de topo nessas cadeias.



Os répteis são uma componente fundamental de todos os ecossistemas das regiões temperadas e tropicais do mundo. O seu declínio, ou desaparecimento, em diversas áreas, é um sinal muito preocupante de deteriorização ambiental."

O original pode ser encontrado em http://www.naturlink.pt/canais/Artigo.asp?iArtigo=2213&iLingua=1

quinta-feira, julho 27, 2006

Parque Nacional Peneda-Gerês 2

Infelizmente o Blogger não me deixou meter o resto das fotos no outro post! Continuo aqui!

Á semelhança dos Garranos encontrei tambem, muito entretidas as pastar nas margens da estrada, e guardadas por um pastor, algumas vacas barrosãs. Esta aqui tava-me a perguntar pelo Marco loool! Gosto desta foto e considero-me sortudo por ter ficado tão boa, pois estava no carro com este em movimento, sentado no parapeito da janela lol!
Esta é uma panorâmica da serra de Montalegre, um dos ultimos redutos do Lobo Ibérico (Canis lupus signatus) em Portugal! Infelizmente não consegui nem sequer ouvir o uivo do mais belo e nobres animais!
Esta estranha construção (pelo menos para os olhos de um alentejano lol) é um espigueiro. Fotografado na aldeia de Brufe, uma das mais remotas e pequenas aldeias do país. Os espigueiros servem para se guardarem os cereais a uma certa altura do chão, para não serem comidos pelos animais.

Parque Nacional da Peneda-Gerês 1


Boas!
Num passeio de dois dias ao parque Nacional da Peneda-Gerês consegui tirar algumas fotos engraçadas a algumas espécies lá presentes! Infelizmente não consegui fotografar nenhum mamifero maiorzinho mas tirei gostei de ver que em Portugal ainda há locais protegidos como este!
Não só a biodiversidade local é elevada como tambem a surreal beleza de certas aldeias paradas no tempo me deixou boquiaberto. Gostei bastante do passeio, apesar de ter feito em dois dias cerca de 1240 km!
Aqui estão algumas das fotos que tirei:


Lol, uma lagartixa da praxe! Eu com esperança que fosse uma especie que não existia no Alentejo, mas afinal é a mesma que há em Évora! O nome cientifico é Podarcis hispanica

Ora aqui está uma foto de que muito me orgulho, tendo em conta a qualidade da minha máquina! Este Sardão (Timon lepidus) teve a posar para mim e deixou-me chegar bastante perto! Não tinha cauda, provavelmente devido a um encontro com um qualquer predador.

Estes aqui fiquei bastante espantado em encontrá-los! Em plena estrada de montanha encontrei por duas vezes, em locais diferentes, pequenas manadas de Garranos selvagens (Equus caballus)! Eram bastantes calmos e não ligavam muito aos carros que passavam!

Argiope lobata

Há uns dias encontrei uma aranha da espécie Argiope lobata numa teia. Era uma fêmea. Tirei-lhe algumas fotos. A qualquer momento um macho pode visitar a fêmea, e gostaria de fotografar os dois juntos. Por isso fui lá outro dia, mas não tirei fotos..
Hoje fui lá outra vez, mas o macho ainda não apareceu...
As fotos que aqui coloquei foram as que tirei hoje. Quando me aproximei da teia um gafanhoto saltou e ficou lá preso: um bom momento para fotografar! :D
Vou tentar visitar a teia todos os dias, até que lá apareça um macho! Quando isso acontecer irei colocar aqui as tão esperadas fotos!

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

quarta-feira, julho 26, 2006

Mourão e Monsaraz

Bem, já tinha combinado ir com o Ceriaco conhecer Mourão mas nunca pensei que fosse tão bonito.
Deixo aqui algumas fotos que acho bem bonitas e mostram que o Alentejo tambem é lindo, ainda para mais quando há água por perto.
Depois de irmos a Mourão fomos a Monsaraz: para mim até agora a aldeia mais bonita de Portugal.


Para tirar esta foto fui atacada por formigas! Mas fui mesmo atacada!


Castelo de Mourão
Vista para a Barragem do Alqueva
Vista de Mourão para Monsaraz


Vista do castelo de Mourão

26-07-2006 Serra d'Ossa

Hoje eu, a Maria e o Ceríaco fomos à Serra d'Ossa (perto do Redondo) procurar víboras-cornudas (Vipera latastei)! :D
Sabia que esta época do ano não é das melhores para encontrar este animal. Não conseguimos encontrar nenhuma.
Mas pelo menos encontrámos algo muito interessante: debaixo de uma pedra encontrámos um lacrau (Buthus ibericus) fêmea com as crias! :D Eram muitas! Já tinha visto fêmeas com as crias por perto, mas nunca em cima delas! E as crias já eram um pouco maiores e já tinham uma coloração parecida com a de um adulto.

Esta foto foi tirada por mim:
Image Hosted by ImageShack.us

Esta foi tirada pela Maria:
Image Hosted by ImageShack.us

E esta foi tirada pelo Ceríaco! lol Eu estou a levantar a pedra onde estão os escorpiões e a Maria está a fotografá-los:
Image Hosted by ImageShack.us

Ceríaco, Maria e eu:
Image Hosted by ImageShack.us

sábado, julho 22, 2006

Abelharuco

Hoje, para além da cobra-rateira também fotografei abelharucos (Merops apiaster). O abelharuco é uma ave muito colorida que se alimenta de abelhas (daí o seu nome) e outros insectos.

Today, besides the Montpellier Snake I also photographed Bee-eaters (Merops apiaster). The Bee-eater is a very colored bird who feeds on bees (hence the name Bee-eater) and other insects:


Image Hosted by ImageShack.us

Cobra-rateira (108 cm)

Hoje apanhei uma cobra-rateira (Malpolon monspessulanus) com 108 cm de comprimento. A cobra mordeu-me! Foi a primeira vez que fui mordido por uma cobra-rateira adulta. Mordeu-me 2 ou 3 vezes, mas não sei se me injectou veneno. Senti um pequeno ardor na zona de uma das mordeduras, por isso é provável que tenha injectado algum veneno. O mais espantoso foi que só passado algum tempo é que vi que tinha sangue na mão esquerda! Também fui mordido na mão esquerda e nem dei por isso. Só por isso já dá para ver que a mordedura de uma cobra, mesmo com este tamanho, não é dolorosa. Claro que se for injectado muito veneno, ou se for uma serpente com um veneno mais forte já é doloroso! Ou se for uma serpente mesmo muito grande. Fui mordido por esta cobra porque não tive muito cuidado. Se fosse uma víbora teria muito mais cuidado para não ser mordido!

Today I caught a 108 cm long Montpellier Snake (Malpolon monspessulanus). The snake bit me! It was the first time I was bitten by an adult Montpellier Snake. The snake bit me 2 or 3 times, but I don't know if any poison was injected. I felt a little burning in the finger the snake bit, so maybe she injected some poison. The most amazing thing was that only later I did noticed that I had blood on my left hand! I was bitten on my left hand too and I didn't noticed it. Just by that you can see that a snake bite, even with a snake this big, isn't painful. Of course, if a lot of poison is injected, or if the snake has a more powerful poison, then it will be painful! Also it will be painful if the snake is really big. I was bitten by this snake because I was a little careless. If it was a viper I would be much more careful!

Aqui está o resultado da mordedura. Quase não senti nada:

Here's the result of the bite. I almost didn't felt anything:

Image Hosted by ImageShack.us

E aqui está a cobra:

Here's the snake:

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Esta é provavelmente a serpente terrestre mais rápida da Península Ibérica. Neste video pode ver-se uma demonstração dessa velocidade. Também se pode ver uma das formas de pegar numa serpente sem se ser mordido:

This is probably the fastest terrestrial snake of the Iberian Peninsula. In this video you can see a demonstration of that speed. You can also see one of the ways of holding a snake without being bitten:

quarta-feira, julho 19, 2006

Passeio pelo parque




Hoje fui dar uma volta aqui pelo parque Sintra-Cascais mas não encontrei nada de especial, apesar de ter encontrado uma especie de borboleta que nunca tinha visto. O seu nome científico é Pseudotergumia fidia.

terça-feira, julho 18, 2006

No Sado ainda há vida...

Bem digo "ainda há vida..." porque por este andar com a construção desta nova marina para regalia de algumas pessoas a vida destes golfinhos ainda se complica mais pois a marina vai ser construída num dos locais de alimentação. Já não basta a poluição agora isto....É vergonhoso...
Na imagem acima consegue ver-se o golfinho e umas cordas que pertencem a uma escavadora que está a remover areia....

No jardim

Umas gotas....
Acho que são duas lagartixas a tentar ou a começar a acasalar


Uma aranhita, mas não sei a que espécie pertence. Só sei que vive numa palmeira em minha casa.


Esta não estava no jardim, estava mesmo dentro de casa.


Algo que não sei mesmo o que é...


Uma pequena borboleta.


Um grande abelhão.

domingo, julho 16, 2006

Fotos



Esta sim pode não parecer mas é uma fotografia muito especial. É uma gaivota-de-bico-fino (Larus genei). É uma espécie muito rara em portugal que tive a sorte de poder fotografar no Algarve, no sapal de Castro Marim.

Uma cegonha fotografada em Cabanas no Algarve. Acho que nunca tinha estado tão perto de uma.

Na tentativa de ir ver lontras o que encontrei foram só mesmo os lagonstins. Enfim, assim já é qualquer coisa! Pode ser que as lontras fiquem para a próxima.


Um lacrau (Buthus ibericus) debaixo de uma pedra na Mitra. Este era bem grande. Devia ter aí uns 8 cm. Nada mau...




Já foi há algum tempo mas esta foto traz-me uma má recordação: não ter conseguido fotografar a bela da lontra (não foi Marco?). Mas o resultado tambem não foi dos piores.